Carta 06 | Política econômica e mercado de trabalho (2000-2006)

A estratégia conservadora da política macroeconômica na primeira metade da presente década impediu que o Brasil aproveitasse melhor os bons ventos da situação internacional e intensificasse o crescimento da economia. O PIB chegou a crescer 5,7%, em 2004; mas esse sopro arrefeceu no biênio seguinte, com o recrudescimento da ortodoxia monetária, e o crescimento médio anual da economia foi ligeiramente superior a 3%. Em conseqüência, houve modesta redução na taxa de desemprego e crescimento do emprego formal, insuficientes para modificar o grave quadro vivido pelo mercado de trabalho brasileiro, sobretudo a partir do início dos anos 90.

Os artigos reunidos nesta Carta analisam diversos aspectos da relação entre a política econômica e o mercado de trabalho no período recente. A maior parte deles incorpora em suas análises os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD (2006), recém divulgados. Além de uma visão geral do desempenho do mercado de trabalho, são abordados temas como a surpreendente evolução do trabalho da mulher, as relações entre Previdência Social e estrutura ocupacional – dominada pela informalidade e trabalho precário –, o desemprego, a inserção do jovem no mercado de trabalho e o contínuo avanço das formas de contratação flexível.

Esta edição foi organizada por Eduardo Fagnani e conta com artigos de Eugenia Troncoso Leone, Paulo Baltar, Eugenia Troncoso Leone, Paulo Baltar, Alexandre Gori Maia, Marcelo Weishaupt Proni, Thiago Figueiredo Fonseca Ribeiro e José Dari Krein.

Clique aqui para baixar a versão PDF da edição 

Leia Também

Potenciais impactos das mudanças recentes da legislação trabalhista no emprego formal das pessoas com deficiência.

Artigo de Vinicius Gaspar Garcia, Guirlanda Maria Maia de Castro Benevides e Maria de Lourdes Alencar

Leave a Reply