Carta 06 | Política econômica e mercado de trabalho (2000-2006)

A estratégia conservadora da política macroeconômica na primeira metade da presente década impediu que o Brasil aproveitasse melhor os bons ventos da situação internacional e intensificasse o crescimento da economia. O PIB chegou a crescer 5,7%, em 2004; mas esse sopro arrefeceu no biênio seguinte, com o recrudescimento da ortodoxia monetária, e o crescimento médio anual da economia foi ligeiramente superior a 3%. Em conseqüência, houve modesta redução na taxa de desemprego e crescimento do emprego formal, insuficientes para modificar o grave quadro vivido pelo mercado de trabalho brasileiro, sobretudo a partir do início dos anos 90.

Os artigos reunidos nesta Carta analisam diversos aspectos da relação entre a política econômica e o mercado de trabalho no período recente. A maior parte deles incorpora em suas análises os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD (2006), recém divulgados. Além de uma visão geral do desempenho do mercado de trabalho, são abordados temas como a surpreendente evolução do trabalho da mulher, as relações entre Previdência Social e estrutura ocupacional – dominada pela informalidade e trabalho precário –, o desemprego, a inserção do jovem no mercado de trabalho e o contínuo avanço das formas de contratação flexível.

Esta edição foi organizada por Eduardo Fagnani e conta com artigos de Eugenia Troncoso Leone, Paulo Baltar, Eugenia Troncoso Leone, Paulo Baltar, Alexandre Gori Maia, Marcelo Weishaupt Proni, Thiago Figueiredo Fonseca Ribeiro e José Dari Krein.

Clique aqui para baixar a versão PDF da edição 

Leia Também

Deficiência, desigualdade e trabalho

Deficiência, desigualdade e trabalho

Leave a Reply