Carta 22 | Relações de trabalho no Brasil do século 21

A Carta Social e do Trabalho n. 22 traz o artigo “As relações de trabalho no Brasil na primeira década do século XXI” de José Dari Krein, professor e pesquisador do Cesit/IE/Unicamp. Krein parte da hipótese de que as relações de trabalho apresentaram um movimento contraditório nos anos 2000, qual seja: uma tendência de redução da força da tese da flexibilização externa no debate político nacional, a partir do momento que houve uma melhoria progressiva e substantiva do mercado de trabalho; mas, apesar disso, é possível perceber movimentos que também reforçaram a tendência de flexibilização, tais como o avanço da remuneração variável, da jornada flexível e da multiplicação das formas de contratação.

Em sequência, no artigo, são apresentadas as principais características das relações de trabalho e do sindicalismo brasileiro, depois, uma abordagem das principais tendências da regulação do trabalho nos anos recentes, destacando o que ocorreu no governo Lula, adiante, uma analise da situação do sindicalismo no governo Lula e, por fim, são elencados os principais temas da agenda do trabalho no debate político brasileiro.

O trabalho do prof. Krein, em síntese, demonstra que “o avanço da formalização coloca a oportunidade de superar um conjunto de problemas ainda marcantes no mercado e nas relações de trabalho brasileiras, com medidas de regulação” nos campos da terceirização, da redução da rotatividade no emprego, da jornada e dos acidentes de trabalho, do combate às práticas ilegais na contratação de empregados sem registro, dos processos fraudulentos de contratação de empregados disfarçados de pessoas jurídicas, do trabalho forçado e infantil, entre outros.

Esta edição foi organizada por Denis Maracci Gimenez e Anselmo Luis dos Santos.

Clique aqui para baixar a versão PDF da edição. 

Deixe uma resposta