Informalidade e precariedade: qual o futuro do trabalho na América Latina? – 9 a 11 de novembro

A América Latina apresenta como característica histórica uma estrutura ocupacional muito heterógena, com insuficiência de oportunidades de trabalho, o que se expressa em elevados níveis de desemprego, persistente informalidade e ampla precariedade laboral. As mudanças nos anos recentes, especialmente com o avanço da agenda neoliberal desde meados da década de 2010 e com a pandemia em 2020/21, em um contexto de profundas transformações tecnológicas e financeiras que afetam a produção de bens e serviços, agravaram os problemas do trabalho, dificultando o acesso da população ao mercado de trabalho e à obtenção de renda.

As agendas defendidas pelas forças políticas e econômicas dominantes (reforma laboral, exaltação do empreendedorismo, inserção passiva na globalização, abertura econômica, redução do Estado etc.) não trouxeram os resultados anunciados e os problemas do mundo do trabalho se agravaram. Diante desse quadro, a seguinte questão deverá orientar a reflexão e o debate na Conferência: qual é o futuro do trabalho na América Latina?

Parte-se do pressuposto de que o trabalho continua tendo centralidade na vida das pessoas e das sociedades e que não será possível enfrentar os problemas sociais sem que se inclua uma perspectiva de trabalho decente para os milhões que se encontram desocupados(as) ou subutilizados(as), na informalidade ou submetidos a diversas formas ao trabalho precário.

Na Conferência, pretende-se combinar tanto discussões acadêmicas e resultados de pesquisas, quanto apresentações de experiências e proposições de políticas públicas ou de ações sociais em torno do tema. Desta maneira, espera-se que seja um espaço voltado à produção de diagnósticos, mas também de reflexões sobre novos horizontes e perspectivas (de pesquisa e de ação) para o trabalho na América Latina.

Além disso, a Conferência tem também como finalidade impulsionar a constituição da Red de Estudios Latinoamericanos sobre el Trabajo Informal y Precario (REDLATT), uma rede dedicada à produção de informação e análises, formação de pesquisadores e de atores sociais, além da publicação de estudos próprios e materiais de referência sobre o tema do trabalho informal e precário na América Latina.

A construção da Red de Estudos Latinoamericanos sobre el Trabalho Informal e Precario é uma iniciativa de pesquisadores dedicados ao mundo do trabalho, oriundos da Sociologia, Economia, Ciência Política, Administração e outras áreas do conhecimento. Está estruturada a partir de centros de estudos e pesquisas constituídos no âmbito das IES (Instituições de Ensino Superior) da região e, inicialmente, conta com membros do Brasil, Argentina e Chile, mas ambiciona expandir suas atividades para outros países latino-americanos.

Local: Instituto de Economia da Unicamp

Mais informações: https://www.latwork-project.eu/pt/conferencia-final

Link para inscrições: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfPrbwIBYwGiZc4nuAZbodOgVUr15HVe2mLz-S8VDN8v6kTWw/viewform